Sociedade

Bancas de frutas financiadas pelo Banco Mundial

As vendedoras de frutas que ocupavam o entroncamento defronte a escola secundária de São João da Vargem, na cidade de São Tomé, foram transferidas para o passeio da Praia de São Pedro na marginal 12 de Julho.

No quadro do projecto de reabilitação da estrada nacional número 1 financiado pelo Banco Mundial, as mulheres que comercializavam frutas da terra sem quaisquer condições de higiene e de salubridade naquele entrocamento foram contempladas com bancas padronizadas.

Elas abandonaram o entroncamento que vai ser transformado numa rotunda, e foram transferidas para a marginal 12 de Julho. As bancas enfileiradas deram mais encanto a marginal, na zona da Praia de São Pedro.

«Faremos uma rotunda aqui no cruzamento. Para evitarmos desconfortos tanto para quem vende as frutas, como para quem compra coube ao dono da obra, o Governo de São Tomé e Príncipe a responsabilidade de fazer o reassentamento das pessoas para este lado», explicou o Director do Instituto Nacional de Estradas.

O Director Gabdul Quaresma anunciou que são 15 bancas, e uma casa para venda de gelados. «Um financiamento de cerca de 10 mil euros, para 15 bancadas e uma casa de gelados. As beneficiárias já tinham sido identificadas», frisou.

As vendedoras saudaram a iniciativa do projecto de reabilitação da estrada nacional número 1, de construir bancas padronizadas, que vão dignificar o comercio de frutas de São Tomé e Príncipe, em plena marginal 12 de Julho.

O Presidente de Câmara Distrital de Água Grande, José Maria Fonseca, participou na cerimónia de entrega das bancas as vendedeiras, e prometeu desenvolver um programa de acompanhamento e sensibilização das  mesmas.

O poder local de Água Grande, pretende orientar as vendedeiras de frutas em matéria de gestão de negócios, assim como nas campanhas de protecção do ambiente, e na luta contra a violência sexual e doméstica.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Sotavento

    19 de Novembro de 2020 as 9:56

    É de louvar a iniciativa de mudar o sistema de vendas de frutas, por la higiene e também a exposicao dos produtos conta muito no momento de compra por parte do consumidor.Mas, creio que os nossos governantes teêm que pensar um pouco mais digo pensar para nao utilizar outros qualificativos pouco elegantes.Nao é preciso que se mendigue um financiamento para construir quinze bancadas para venda de frutas.Mas enfim como disse de inicio é de louvar e também para que mude um pouco as coisas.Mas nao basta ´so construir as bancadas , há que fazer ver as pessoas que é necessario manter limpo o seu sitio de venda.Vivo em Espanha sou natural de STP e me deparo com muitos espanhois que estiveram em STP e me dizem que STP é muito bonito as pessoas sao simpaticas sao de excelente trato, mas que se nota muita “guareria” na cidade.

  2. Nita

    19 de Novembro de 2020 as 11:36

    Muito bem. Mas elas pagarão alguma taxa mensal ou outra modalidade? Tem que habituar as pessoas a pagarem impostos. As palaies e pessoas que vendem fardo devem pagar impostos.

  3. Sem assunto

    19 de Novembro de 2020 as 17:09

    Ao tomar contatato com estas notícias sinto vergonha de ser Santomense, toda porcaria é financiada pelas organizações internacionais até papel higiénico para limpar mos o c..,que afronta de governantes. Desavergonhado do ministro da infraestrutura ainda fez questão de estar presente, só vos falta mais dois anos, aproveitem, hão de desaparecer e caírem em esquecimentos.

  4. Fuba cu bixo

    19 de Novembro de 2020 as 17:24

    Meus deus isto é verdadeira fuba cu bixo endividar o pais para fazer esta bancada sub-faturada e nem protege nada quando chorar vão apanhar chuva avontade.
    Eu sabia que a morte do Juiz Bernardino vinha roubalheira desenfreada estamos lixados a ponte foi o que foi agor a é bancadinha.

  5. Lima

    20 de Novembro de 2020 as 9:55

    Pois é que essas bancadas foram construidas é algo a aplaudir.Mas como ja foi dito o que foi necessario para que elas custamssem tao caro?Os matriais vieram do estrangeiro? Falou se de tenda tambem para cenda de gelados.Pois onde estao casas de banho para as necessidades?Esqueceram que essas pessoas a um momento qualquer vao ter que ter uma cdrta necessidade?Vao levantar as saias como fazem sem vergonha e fazer ao lado das mercadorias ou eu estou enganada pensaram tambem nisso?Desculpem nao estou dando licoes mais nao pessem que esses dinheiros que vos fazem penssar que sao dons ,que na realidade sao dons.Que seje banco mundial ou nao europeia ou nao essa gente esses organismos nao dao nada.A vossa agua cheio de peixe e de petroleo é que paga tudo isso.Pois é voces vao dizer se a gente nao faz voces ralam se a gente faz voces ralam mas entao o que fazer?Ha muito que fazer so nesse assunto nao era preciso muita coisa.Comprar tabuas comprar cimente e construir algo desse tipo nao custaria tanto dinheiro ou entao estao a nos meter dedo nos olhos.Ser independente ser autonomo ter inteligencia é importante e isso nao impede trocas comerciais relacoes com o extrangeiro.Desejo-vos boa continuacao e continuacao de boa e grande capacidade de reflexao.saibam fazer comercio mas nao com qualquer um.Saibam ter amigos mas nao com qualquer um.

  6. Santo

    20 de Novembro de 2020 as 11:15

    Foi muito bom, melhorar condições de venda de frutas aqui nesse local. A única coisa que ignoro é o valor de 10 000 Euros por essas bancas de venda. Acho que o tribunal de contas deve registar essa pouca vergonha e responsabilizar o encomendador.
    Quer dizer que cada banca de venda fica por volta de 17 000 Ndb, isso é brincadeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo